quinta-feira, maio 11, 2006

Outubro azul verde amarelo

Quando eu trabalhava na revista Inside, a primavera era aguardada com espectativa. De setembro à novembro, principalmente em outubro, acontecia a chamada "perna brasileira" do circuito mundial de surfe, com campeonatos em diversos estados. A Inside não tinha tanta bala pra mandar seus editores pro exterior o tempo todo, mas os eventos no Brasil a gente raramente perdia. Entre 1994 e 97, viajei todos os outubros. Os principais destinos eram no litoral paulista (Santos, Guarujá, Ubatuba) e o Rio de Janeiro, mas às vezes íamos ao Paraná e ao Rio Grande do Sul. Os campeonatos eram em semanas consecutivas e atraíam participantes e interessados de várias partes do mundo. O "circo" trocava de praia a cada semana, geralmente quatro ou cinco eventos seguidos. Um deles era sempre na Joaquina, o que garantia uma parada em casa. Nessa época eu ainda não tinha me formado, portanto raramente passava nas disciplinas do segundo semestre.

As duas capas acima são das edições 86 e 87 da Inside, de novembro e dezembro de 1995. Traziam a cobertura da "perna brasileira", apelidada por Júlio Adler e colegas cariocas de "cambito", devido à magra premiação em comparação com os torneios no exterior (Cambito virou nome de um filme que eles fizeram, com imagens dos torneios no Brasil).

A edição 87 tem a matéria que, olhando hoje, mais gostei de ter feito durante todo meu "período Inside". Uma entrevista com o carioca Pedro Müller, na época já um veterano, prestes a se aposentar do circuito brasileiro como um dos mais bem-sucedidos competidores do surfe nacional. Sua história foi marcada pelo falecimento trágico da esposa durante o parto da filha, que sobreviveu. Era muito raro tratarmos de assuntos densos em uma revista leve de surfe, mas o resultado agradou.

Outros posts sobre a revista Inside: edição 84 (set/95) e edição 89 (jan/96).

Links to this post:

Criar um link

<< Home